sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007, posted by Ao Sabor da Poesia at 23:09

Somos dois corações eternamente
Apaixonados... Enquanto dure...
Sentimos esta ternura entre nós
Este amor é a vida em breve curso


Acredito que estamos apaixonados
Eu por ti e tu por mim...
Nem mesmo sei onde nos encontramos
Se na calada da noite ou no amanhecer

Talvez no entrelaçamento do destino
Nas quebradas da vida, na rua do amor.
Quando nossos olhos ofuscaram entre si.
Quando senti teus carinhos sob minha pele

Quando me senti esmorecida de amor por ti
Sabia que tu estavas dentro de mim
Junto ao âmago da m’alma
Sentia a paixão invadir todo meu ser

O sangue fluir rápido no coração
Sentindo as batidas fortes no peito
Tudo mudou em minha vida
Com esta paixão que chegou de repente

Vagarosamente foi florindo minha vida
Dois corações que se uniram em explosão
Para sempre amarem-se com devoção
Eternamente não posso dizer

O amor é como uma flor que nasce
Cresce e infelizmente morre
Não quero que seja assim nosso amor
Quero estar contigo em cada manhã

Amar-te com paixão cada noite
Quero te amar sem nada pedir
Sem que nada tenha para me cobrar
Apenas dois corações que se encontraram

E que com muita ternura se amaram
Dois corações que sentem cada emoção
Atravessar no decurso da vida como um rio
Que não cansa de desaguar nos mares


Sinto teu coração pulsar junto ao meu
Formando um só coração com as batidas
Que bem compassadas fluem para o amor
Para a paixão que sentimos dentro de nosso ser

Quero estar apaixonada a cada novo amanhecer
Sentir que o tempo parou e em nosso amor ficou
Amor paixão loucura da alma do coração
E que no fundo o coração desconhece a razão.
 
1 Comments:


At 26 de fevereiro de 2007 12:37, Blogger Daynor

Querida Ângela,
Uniste a gramática ao teu amor...uma beleza ímpar! Sabe, fiquei aqui pensando, depois de ler-te, que seria tão bom se pudéssemos mastigar os sentimentos, engolir as dores, os sapos ou sorver o ardor, o desejo e fartar-se de amor...
Beijos no coração!
Até +
Daynor Lindner