sábado, 17 de fevereiro de 2007, posted by Ao Sabor da Poesia at 16:46

Vou gritar aos quatro ventos
Com os raios que lampejam
Entre nuvens tenebrosas
Anunciando que vem chuva

Vento... Você é minha brisa suave
Seu beijo é como o raio que cai
Ficar sem você é penumbra demais
Vento... Traz de volta meu amor para mim


Vou falar com a água da chuva
Que escoa por entre as ruas
Que percorre por muitos caminhos
Deitando suas águas no mar sem fim

Água... Corra velozmente e o encontre
Nem que precise correr por toda a terra
Nada poderá impedi-la de encontrá-lo
Seja na água dos rios ou dos mares


Vou falar com o fogo que queima
No teu interior constantemente
Que lhe de um recado do meu coração
Que ele te deseja ardentemente junto ao meu

Fogo... Fale para ele todo o amor que sinto
Que são como labaredas que queimam
Que arde meu coração aquecendo-o
Pelo simples pensar em todo amor que guardo


Vou falar junto a terra que gira
Que acaso o encontre o traga para mim
Em qualquer lugar onde estejas
Deste imenso globo que não para de girar

Terra... Não pares de girar nunca até encontrar
O meu amor que perdido está em qualquer lugar
E quando o encontrar gire na minha direção
Para que possamos nos encontrar e nos beijar
 
5 Comments:


At 18 de fevereiro de 2007 03:29, Blogger Kalinka

A vida é só uma…breve ou longa, é uma incógnita!
Numa de minhas imagens recentes, mostro uma espécie de relógio que significa o «tempo», e ele é muito importante em todas as vidas. Perseguir e alcançar a felicidade é o sonho humano mais desejado, pois todos temos direito a um quinhão de felicidade.
Partilha comigo esta busca, perseguindo também a Felicidade.

Lamento não poder visitar este lindo espaço (blog) durante a semana, mas, a promessa de cá vir ao fim de semana mantenho-a.

Beijokas.

Gostei de conhecer o seu espaço.
Lindo.

BOM CARNAVAL.

 

At 18 de fevereiro de 2007 10:52, Blogger João Filipe Ferreira

adorei, sempre bem escrito e sempre feito com dedicação e amor!!
gostei imensoooooooooooo:)
beijinho enormeee

 

At 18 de fevereiro de 2007 13:09, Blogger Conceição Bernardino

Boa tarde,
“Os sonhos são como o vento, sentimo-los, mas não sabemos de onde vêm nem para onde vão” – Frase de Augusto Cury...

Vale apena pensar nisto, nos seus sonhos, faça deles a realidade da existência.
Belo
Bom fim-de-semana
Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

 

At 18 de fevereiro de 2007 16:01, Blogger Conceição Bernardino

Boa noite,

Eu não sou de ninguém!... Quem me quiser
Há-de ser luz do Sol em tardes quentes:
Nos olhos de água clara há-de trazer
As fúlgidas pupilas dos videntes!
“ Flor bela Espanca”

Esta é a forma que eu encontro para comentar
A mais pura a que eu vos quero entregar
A minha amizade...
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

 

At 20 de maio de 2007 02:56, Blogger Lia Pansy

Deliciei-me nesta página e aqui mesmo, em especial onde vc é abrangente, criativa.
É confortante lê-la... bem haja por existir poetas como vc
Passo sempre.
Beijinhos

Lia Pansy