sábado, 7 de julho de 2007, posted by Ao Sabor da Poesia at 06:23


thediamonddew.com

thediamonddew.com

Lindo é o frescor da manhã
Que desabrocha as rosas mais belas
Que enfeitam as donzelas
Em suas pequenas cidadelas

Uma delas quer destaque entre elas
A cor não importa todas são belas
Mas ela queria mesmo ser rosa amarela
Parecendo entre as cores uma aquarela

Rosas nos roseiras que enfeitam
Jardins da velha estalagem aumentam
O feitiço do poder das rosas alimentam

Enquanto o amor não chega acariciam
As pétalas aveludadas de uma rosa ciam
Esperando viver os sonhos que gostariam
 
5 Comments:


At 12 de julho de 2007 13:40, Blogger Menina do Rio

Entre as rosas que desabrocham
sempre há uma que se destaca
por seu brilho e frescor.
A rosas realmente enfeitiçam-nos...

Beijos
ps: Vi-te no Lusos Poemas

 

At 20 de julho de 2007 19:16, Blogger Rita Costa

Olá, poetisa.
Li você no Luso Poemas,onde também tenho uma pagina " Poetas do Brasil", em parceria com o Poeta André Luís Soares.
Gostei de sua poesia, por isso vim conhecer seu blog e te convidar para nos fazer uma vizita em nossos blogs e comunidade do orkut.
Um abraço.

 

At 24 de julho de 2007 08:24, Blogger Conceição Bernardino

Olá,
Desculpe a minha ausência, mas o que importa é, que estou de volta.
Continuarei a comentar, é esta a minha maneira de ser:
Oferendo este poema da “FLY” – do blog “Pedaços DÀlma”


Ausência

Quero largueza desta dor
Apartar-me desta saudade,
Libertar-me desta angústia e vencer esta dor
Mas é em vão...
Vão passar-se muitos anos Pai e eu vou sempre chorar a tua ausência.
Sinto a tua falta!
Queria poder sorrir e dizer "hoje vou visitar-te"
E digo-o à mesma, mas não vejo o teu sorriso,
não sinto a tua voz,
não sinto o calor do teu toque,
nem o teu afago ou beijo...
Estou triste.
(...)
Porque teimam as lágrimas em cair ...?
Porque é que hoje o dia está cinzento
E o vento traz brisas negras de saudade?
Porque é que a minha mão continua estendida
E eu não sinto o teu calor?
Não estás...…
Nunca mais vais estar
E eu sinto-me tão só.
Onde estão as tuas palavras, o teu olhar, o teu carinho?
Onde estão?
Longinquamente por aí…
Perdidas entre a minha dor e a saudade…
Continuo aqui, paralisada,
Igual a mim mesma à espera do abandono impossível da solidão..
Preciso, tanto, de um abraço teu!!!

 

At 30 de agosto de 2007 08:15, Blogger [[cleo]]

Querida Angela
Vim ao sabor da tua poesia e descobri um cantinho mágico onde a cor se mistura com a beleza das tuas palavras e no seu conjunto, formam um quadro encantador aos olhos de quem tiver o prazer de por aqui passar e se passear!...

Rosas... gosto de todas elas!

Beijo

 

At 25 de outubro de 2007 14:25, Blogger Isa&Luis

Olá,

Passear no seu cantinho foi percorrer belas veredas repletas de sentimentos e emoções.

Beijinhos

Isa